quinta-feira, Maio 31, 2007

Antonia Santolaya

Coloquei na 1ªpágina do site um desenho feito pela Antonia quando esteve na India. A cor é dada com acrílico.

Antonia Santolaya. India

quarta-feira, Maio 30, 2007

Desenhar a Aguarela

Enquanto desenhava os Jerónimos a caneta, Enrique desenhava com um pincel grosso directamente com aguarela. Inacreditavelmente é mais rápido. Não há pormenores e com uma simples pincelada define-se um imenso plano. Um dia destes tenho mesmo que tentar.


Mosteiro dos Jerónimos. Lisboa. Maio 2007

terça-feira, Maio 29, 2007

Retratos

Recomecei o Projecto “Retratos” – desenhar amigos e/ou pessoas que gosto especialmente. Fi-lo regularmente durante uns quatro anos, depois parei e há mais de um que não fazia nada. Aproveitei a vinda a Lisboa destes meus amigos, companheiros de dibujo. As semelhanças são por e puro acaso.

Antónia e Enrique. Ilustradores.
Vivem e trabalham em Madrid.
Desenhos realizados em 28 Maio 2007, pelas 0h45 e 0h55, respectivamente

domingo, Maio 27, 2007

Viseu


Largo Pintor Gata. Viseu. Maio 2007


Adro da Sé. Viseu. Maio 2007

sexta-feira, Maio 25, 2007

Antropologia e Diários de Viagem

Desde sempre actividades de várias áreas usaram o Diário de Viagem ou Caderno de Campo, ou o que queiram chamar. A Antropologia é um deles. As expedições científico-filosóficas são um bom exemplo disso. Isto a propósito de uma Comunicação muito interessante que fui ouvir no ISCTE.

ISCTE. Lisboa. Maio 2007

segunda-feira, Maio 21, 2007

Incutir o desejo de desenhar 2

Tenho a convicção que saber desenhar aprende-se (Ensinar já não tenho), e que é uma boa actividade para qualquer idade. São coisas como estas que vou tentar comunicar no dia 23 em Viseu para alguns alunos e professores das Escolas Secundárias Alves Martins e Viriato.

Artur Cruzeiro Seixas. Pintor (86 anos)

Pedro Xavier. Aluno do Jardim de Infância do Pombal. Almada (5 anos)

sábado, Maio 19, 2007

Incutir o desejo de desenhar 1

Amanhã, Domingo, inaugura-se uma exposição de contos infantis e ilustrações feitos por crianças dos 3 aos 12 anos. Mostram-se também Diários Gráficos deles e dos seus professores. É no Museu da Cidade de Almada. Apareçam pelas 17 horas. É um local muito agradável e bonito.

Rosa Baraona. Professora da Escola Básica 2,3 de Bocage. Setúbal

Dinu Granaci. Aluno do 5ºano da mesma escola

quinta-feira, Maio 17, 2007

Le Corbusier

Ao contrário do que escrevi, no documento pdf que está no site www.diariografico.com, Charles-Édouard Jeanneret não se transformou no arquitecto Le Corbusier aquando de uma viagem ao Oriente, mas no lançamento do primeiro número da revista “L’Esprit Nouveau”, em 1920. No entanto, o pseudónimo Le Corbusier só foi adoptado para a sua actividade de arquitecto, actividade que só exercia à tarde, porque de manhã continuava a ser o pintor Ch.E.Jeanneret.

Viagem ao Oriente. Le Corbusier

quarta-feira, Maio 16, 2007

Lisboa 9

Às vezes também me acontece isso. Olho para os desenhos feitos há anos e penso que fazia melhor. Mas outras vezes, como este caso, fazia de outra maneira com certeza, mas continuo a gostar dele. Até pelas lembranças que me traz. Foi desenhado a partir da Mãe d’Água.

Largo do Rato. Junho 2003

segunda-feira, Maio 14, 2007

José María Sanchéz

"Nas salas de espera das urgências conhecemos as pessoas pelos seus nomes e doenças. São gente preocupada que esperam que uma enfermeira diga o seu nome. Há mulheres com os seus maridos, mães, filhos e avós com os seus netos. Passam-se horas aqui. Nós brincamos a adivinhar as suas vidas. " José María Sánchez (1958). Espanha. Designer Gráfico

José María Sánchez

sábado, Maio 12, 2007

Incutir o desejo de desenhar

Como desenhar uma cena ampla? Como fazer para caberem todos os participantes deste pequeno curso que houve no Museu da Cidade, em Almada? Sítio belíssimo, por sinal. Esta foi a sessão final em que toda a gente disse que a partir dali iam desenhar imenso.

Almada. Fevereiro 2007

sexta-feira, Maio 11, 2007

Personagens 5

Ainda no seguimento do desenho anterior registei mais esta personagem. Mulher atenta a quem estava a olhar para ela, bronzeada em estufa, com algumas intervenções plásticas, que costuma aparecer nas fotos das revistas cor-de-rosa ou, pelo menos, que as costuma ler.

Buenos Aires. Abril 2004

quinta-feira, Maio 10, 2007

Personagens 4

Sem querer armar-me em sociólogo estive a observar estas personagens enquanto almoçava. Pareceram-me muito característicos deste país e da sua história recente e obscura. O senhor do meio, físico à Maradona e malandreco; o polícia, com colete à prova de bala como todos usam por estas bandas, tipo índio e às ordens do que for preciso; o paisana, ex-militar talvez da guerra suja e tipo subserviente para os superiores.

Buenos Aires. Abril 2004

quarta-feira, Maio 09, 2007

Personagens 3

Na travessia de barco que fiz entre a Praia e o Mindelo, que durou 24 horas, conheci a Cristina. Ela fazia parte dum grupo de finalistas do curso de gestão escolar. Emprestei-lhe uma camisola à noite porque fazia muito frio. Mas fiquei verdadeiramente amigo foi do Spínola, o único caboverdeano que encontrei que conhecia todas as ilhas. Na paragem que o barco fez em S.Nicolau, povoação do Tarrafal, fomos tomar o pequeno almoço habitual naquelas paragens: cachupa refogada com ovo estrelado, eu, e com peixe frito, ele.

Percurso Praia-Mindelo. Março 2006

terça-feira, Maio 08, 2007

Lisboa 8

Passei pela Travessa do Ferragial e não pude deixar de a desenhar. Recordou-me as minhas idas às Belas Artes quando vinha do Cais do Sodré. Ao cimo das escadas havia um moldureiro. Bom mas muito caro. Também ajudou ter visto aqui este belo desenho.

Travessa do Ferragial. Maio 2007

segunda-feira, Maio 07, 2007

Música Experimental

Porque razão a música experimental não tem apoios de nenhuma espécie, não tem locais para se mostrar, nem tem imprensa que a divulgue? O Projecto "Separados Frutos" de Vera Mantero (voz) e Nuno Rebelo (guitarra eléctrica) (mais dois músicos de quem não sei o nome) só em Paris, no Centro Pompidou nos dias 11 e 12, é que pode ser visto. Por cá só na Incrível Almadense houve essa oportunidade. Desenhar quase no escuro é sempre complicado.



Almada. Maio 2007

domingo, Maio 06, 2007

América do Sul 34

A casa de Pablo Neruda em Santiago é no bairro da Belavista. Um bairro periférico, de onde se avistam os Andes, de pequenas vivendas e com restaurantes simpáticos. A casa dele é constituída por pequenas casas, cada uma com sua função, e por onde passa um pequeno riacho.

Santiago do Chile. Abril 2004

sexta-feira, Maio 04, 2007

América do Sul 33

Lá tive que ir ao Museu de arte Pré-Colombiana. Viam-se alguns alunos de escolas em visita de estudo. Todos fardados como é costume por estes lados. Herança dos ingleses ou da Igreja Católica? Desenhei umas esculturas de madeira que me impressionaram (os Chemamull) que são usadas pelos Mapuches (sul do Chile) no rito aos mortos.

Santiago do Chile. Abril 2004

quinta-feira, Maio 03, 2007

América do Sul 32

A calle Huerfanos, zona pedonal no centro de Santiago do Chile, tem imensos quiosques iguais a este. Mas são um pormenor quando, ao fim da tarde, a multidão regressa a casa depois do dia de trabalho.

Santiago do Chile. Abril 2004

quarta-feira, Maio 02, 2007

Desenhar no metropolitano 2

É bom manter o hábito de desenhar no metropolitano. Independentemente da qualidade do resultado é como um exercício. Além da rapidez no traço, treina-se o perder a inibição de desenhar em público. Este foi feito entre a estação do Campo Pequeno e a do Rato. Depois pintado em casa.

Linha amarela. Lisboa. Abril 2007

terça-feira, Maio 01, 2007

Lisboa 7

Temos ideia que Lisboa tem pouca oferta cultural, o que até é verdade se compararmos com algumas cidades. Mas muitas vezes estamos desatentos ao que se passa por cá. Houve no CAM da Gulbenkian, durante uns dias, à hora do almoço e gratuito, um espectáculo muito interessante. Um rapaz vestido de electricista/astronauta a tocar vários instrumentos de percussão espalhados pela instalação do Cabrita Reis.

Centro de Arte Moderna. Lisboa. Abril 2007