quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Artistas em diálogo

Um pormenor do desenho em baixo, feito no caderno já há uns anos, serviu para o postal de divulgação do ciclo de conferências a que chamámos "Artistas em diálogo". Convidámos artistas para reflectirem sobre o seu trabalho, o seu método, o que os inspira. Vejam o programa em baixo, ou façam a ligação aqui.



terça-feira, fevereiro 24, 2015

Revista Blimunda

Salta é uma cidade ao norte da Argentina perto da fronteira com a Bolívia. Retomo aqui no blog a viagem à América Latina a propósito da crítica/reflexão feita pela Sara Bartolomeu Costa ao livro "Diários de Viagem 2" na revista Blimunda da Fundação José Saramago. Podem descarregar aqui, ler o artigo, ler o resto da revista e partilhá-la com quem quiserem.


domingo, fevereiro 22, 2015

O tempo

Terraço da Mãe d'Água. As três vistas a partir do terraço. Representar uma vista com tanta informação é sempre um desafio. Obriga-nos a seleccionarmos o que queremos representar. A simplificar. A não ser que estejamos ali várias horas. Ou dias. Mas isso é outra coisa...




sexta-feira, fevereiro 20, 2015

Mancha de cor

Aplicar a mancha directamente com um pincel grosso. Finalizar com a linha, mas pouco. No domingo o percurso verde desde o Jardim Amália Rodrigues até ao cimo do morro, um miradouro para olhar à volta.



quinta-feira, fevereiro 19, 2015

Mãe d'Água

A Mãe d'Água é desenhável por dentro e por fora. No sábado pelas 14 horas vamos entrar e desenhar o interior e a vista sobre Lisboa a partir do terraço. Apareçam.


terça-feira, fevereiro 17, 2015

Circo Místico

No exterior do “Circo Místico”. Tentei desenhar o elefante de boca aberta, mas ele era demasiado brincalhão. Os camelos já eram mais calmos.





segunda-feira, fevereiro 16, 2015

Casa-Atelier

O escadote-banco azul parece que era um objecto de estimação de Vieira da Silva. No sábado passado, na Casa-Atelier Vieira da Silva, Nuno Matos Silva aproveitou-o para falar sobre desenho. E aproveitou muito bem.


segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Monsanto. Vista de 360º

Fui fazer parte do percurso proposto pela Câmara Municipal de Lisboa para o 72ºEncontro USkP no próximo domingo dia 15. Parei no primeiro miradouro e fiz três desenhos rodando quase 360º.




sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Largo de São Domingos

O Largo de São Domingos, com a igreja do mesmo nome, sempre me fascinou com as pessoas que o frequentam como se estivessem na sua aldeia debaixo duma árvore que ali está. Mas nunca o consegui desenhar convenientemente. E se já tentei...


quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Leões e pinguins no zoo

Os leões, as leoas e as suas crias espreguiçavam-se ao sol depois do almoço. Só de vez em quando faziam um pequeno gesto. Eu estava debruçado no parapeito, por cima, e tinha todo o espaço que queria para pousar as aguarelas. Quando ia a sair ainda passei pelos pinguins e tive que fazer alguns. 





terça-feira, fevereiro 03, 2015

Desenho Cru

Ontem no desenho Cru. A performer Birgini e o músico José Goméz.







sexta-feira, janeiro 30, 2015

Um ano a desenhar para o futuro

"Um ano a desenhar para o futuro" é como se chama a iniciativa, que começa amanhã na Casa-Atelier Vieira da Silva no jardim das Amoreiras. Durante este ano, fim de semana sim, fim de semana não, e com diferentes formadores, encontramo-nos para desenhar.

Num espaço com tantas árvores, tanto verde de várias tonalidades, pessoas a passar, temos que seleccionar o que queremos desenhar.


quarta-feira, janeiro 28, 2015

Oeiras histórico

Saímos da Fábrica das Cores e fomos até ao centro de Oeiras. Nas traseiras da Igreja junto aos bombeiros, o Pelourinho e o Palácio do Marquês ao fundo.




terça-feira, janeiro 27, 2015

Museu do Ar. Sintra

Quando estava a pintar este desenho, já em casa, apareceu a dúvida se a boca desenhada no avião estava mesmo aberta ou se era uma ilusão.


Museu do Ar em Sintra

Foi com estes dois desenhos que exemplifiquei a minha proposta: a partir de um ponto pouco habitual, começar o desenho sem levantar a caneta. De uma só linha até chegar ao mesmo ponto. Experimentar fazer dois desenhos partindo de pontos diferentes. O primeiro comecei pela roda lateral. O segundo da ponta onde está a hélice.



sexta-feira, janeiro 23, 2015

A Biblioteca e o dragoeiro

Este edifício em Algés, que agora é uma das Bibliotecas do Concelho de Oeiras, e o dragoeiro em primeiro plano, fazem-me lembrar tempos passados já há muitos anos. O desenho, como entretanto começou a chover, também ficou com um ar de antigo.


quarta-feira, janeiro 21, 2015

Um ano a desenhar para o futuro

A Casa-Atelier Vieira da Silva desafiou-me, no seguimento do projecto do ano passado onde nos propúnhamos fazer o mapeamento do bairro das Amoreiras, fazer uma oficina mensal durante o ano de 2015. Eu propus-lhes fazermos duas oficinas (no 2º e 4º sábado de cada mês) convidando vários USks (portugueses e a espanhola Inma Serrano) de quem gosto e que têm, quase todos, grande prática do ensino. Não consegui convidar todos os que queria. Fica para o ano.

Este projecto tem o nome de “Um ano a desenhar para o futuro” porque em cada mês é escolhido um desenho, de todos os realizados, para publicar numa edição de 2016 pela FASVS uma agenda e/ou calendário.

Em baixo dois desenhos do Jardim feitos a partir de pontos diferentes da esplanada do quiosque.

Ver o resto da informação aqui.

- 31 Janeiro. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 1”
- 14 Fevereiro. Nuno Matos Silva “1, 2, 3 - Análise, flexibilidade e imaginação”
- 28 Fevereiro. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 2”
- 14 Março. Ana Luísa Frazão “Colar no desenho”
- 28 Março. Inma Serrano "Histórias do dia a dia"
- 11 Abril. Nelson Paciência “Quantas coisas cabem no meu caderno?”
- 25 Abril. Pedro Cabral "Entre ramos e folhas. Vamos encontrar o que é diferente em cada árvore"
-   9 Maio. Lopo Pizarro “Um aqueduto pelo jardim”
- 30 Maio. Luís Ançã “A Outra Dimensão do Desenho: Pintura”
- 13 Junho. Filipa Antunes “A poética do espaço desenhado: convergência e configuração”
- 27 Junho. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 3”
- 11 Julho. António Procópio “Espaço e distância. Desenhar o interior da Casa-Atelier VS”
- 25 Julho. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 4”
-   8 Agosto. Tiago Cruz "A composição na dupla página"
- 29 Agosto. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 5”
- 12 Setembro. Pedro Loureiro “Desenho cego: desenhar de olhos bem abertos”
- 26 Setembro. José Louro (tema ainda não pensado)
- 10 Outubro. Rosário Félix "Os objectos de Vieira da Silva e os passeios pelo jardim"
- 31 Outubro. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 6”
- 14 Novembro. Vicente Sardinha "O mundo a preto e branco ".
- 28 Novembro. João Catarino “Espaços e estruturas”
- 12 Dezembro. Eduardo Salavisa “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 7”



segunda-feira, janeiro 19, 2015

Fábrica das Cores

A Catarina e o Carlos convidaram-me outra vez para desenhar com eles e com quem aparecesse (inscrições aqui) na Fábrica das Cores em Oeiras. Vou lá no próximo sábado, dia 24, às 14 horas. 

Vamos fazer um percurso por aquelas bandas, como os exemplos em baixo no Seixal há uns tempos: Uma rua estreita e um largo. O primeiro feito unicamente a linha com caneta e o segundo com mancha, para organizar o espaço, e depois a linha.



quinta-feira, janeiro 15, 2015

Desenhar no Metro

Exercício proposto: desenhar a estação entre dois comboios. Com a "crise"o tempo entre dois comboios é cerca de 6 minutos. Dentro do metro, desenhar as pessoas à volta durante a nossa viagem. Esta foi entre o Rato e o Campo Pequeno, linha amarela. Pintar em casa.



terça-feira, janeiro 13, 2015

Não sei bem o que dizer, mas tenho de dizer qualquer coisa


Não sei bem o que dizer, mas tenho de dizer qualquer coisa.
Mesa-redonda aberta sobre o ataque ao Charlie Hebdo: o poder dos cartoons editoriais, liberdade de imprensa e expressão, limites sociais, contextos históricos da imprensa ilustrada.

Sara Figueiredo Costa, Nuno Saraiva, Osvaldo Macedo de Sousa e Eduardo Salavisa. Moderação de Pedro Moura.

Terça-feira, 20 de Janeiro, às 18h30, no Museu Arqueológico do Carmo.

Entrada livre. 


O crime perpetrado contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo colocou na ordem do dia junto ao grande público uma discussão que tem tido lugar em círculos especializados. Qual o papel do cartoon editorial nas democracias modernas, cujas leis de liberdade de expressão permitem um qualquer grau de negociação entre o que se entenderá por "aceitável" e "pertinente", por um lado, e "exagerado" e "ofensivo", por outro. Se se acreditar numa tal categorização, porém, há que compreender que ambas pertencem a uma longa tradição de trabalhos, e com particular presença na cultura francesa. A questão desta liberdade vai embater noutras questões, como os posicionamentos ideológicos, os ditos limites da imprensa, a censura prévia e as decisões judiciais, assim como a conjuntura actual a nível mundial cujas fricções são vistas por alguns como um "choque de civilizações". Não é difícil começar uma discussão sem tropeçar em controvérsias ou mesmo afirmações elas mesmas insustentadas, já que tudo isto implica emoções, limites ao nosso conhecimento, posicionamentos extremados, etc. 
A comunidade de artistas de banda desenhada, ilustração e cartoon editorial, assim como investigadores e críticos da área têm multiplicado a sua expressão de solidariedade, assombro e até mesmo incompreensão nos mais variados canais de comunicação. Alguns dos seus membros não sabem bem como começar a articular o que pensam e sentem, mas sentem também a urgência em fazer algo mais. Esta é uma oportunidade, entre outras, de dialogar.  

segunda-feira, janeiro 12, 2015

Sábado no zoo

Sábado no jardim zoológico. Gosto de desenhar enquanto oriento um workshop. Mas a concentração não é tanta, e os únicos que acabei foram estes.



quinta-feira, janeiro 08, 2015

Molesnick

O Molesnick é um caderno feito pelo Nick e pela Inês, que por sua vez são um casal de artistas/professores que abrem a portas da sua casa e ensinam o que sabem enquanto servem um chá. Por vezes também têm convidados a falar do que lhes interessa e do que fazem. Em baixo um troço da rua das Amoreiras feito num Molesnick.



segunda-feira, janeiro 05, 2015

No Jardim Zoológico

Quando a semana passada fui ao jardim zoológico preparar o workshop do próximo dia 10, comecei pelos bongas, castanhos com as suas listas fininhas brancas. Depois estava um puma, impaciente, a andar às voltas. E eu, pacientemente, esperava que ele se pusesse na posição em que estava a desenhá-lo. Por fim, a família de hipopótamos, a dormir a sesta. Tive todo o tempo que quis para os desenhar.




sexta-feira, janeiro 02, 2015

As árvores amarelas

Nesta esplanada, no quiosque do jardim das Amoreiras, as árvores amarelas estavam a pedir que as pintasse.