sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Uma curva

Uma curva que apetece mesmo desenhar. Já o fiz várias vezes. Com a aliciante de passar o eléctrico.


domingo, fevereiro 19, 2017

No Museu do Carmo

Ontem no Museu do Carmo. Continuação da colecção de rostos.


quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Duas personagens no metro

Depois das duas personagens principais comecei a fazer o contexto. Que ficou incompleto. Como sempre.


domingo, fevereiro 12, 2017

As desculpas de Fillon

Para um tema desinteressante, a conferência de imprensa de François Fillon para pedir desculpas por ter dado emprego à mulher e aos filhos pago pelo erário público, dois desenhos desinteressantes. Foi escolhido o primeiro para sair no suplemento P2 do Jornal Público de domingo. Aqui a dupla página do jornal.



quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Personagens no Metro

Ontem na linha Amarela do metro de Lisboa. Nos dois casos, depois de desenhar uma personagem que estava mesmo a "pedir para ser desenhada", quando comecei a outra, ela saiu.



terça-feira, janeiro 31, 2017

Eça de Queiroz

Além de escrever daquela maneira excepcional Eça também desenhava. Naquela altura numa “educação esmerada” tinha sempre lugar o desenho. E o caderno era o suporte escolhido. No caderno de Eça encontramos alguns desenhos de observação mas, a maioria, são uma espécie de ilustração. Como o segundo que é uma caricatura do próprio e o terceiro uma possível caricatura de Ramalho Ortigão.

(Desenhos do livro "Eça de Queiroz em casa" de Irene Fialho da Editorial Presença)




domingo, janeiro 29, 2017

A discussão da TSU

Gosto da ideia do desenho em cadernos ser uma espécie de apontamento do que aconteceu, um parágrafo num bloco de notas, um registo do tempo que demorou aquele momento.

Foi isso que fiz na quarta-feira passada na Assembleia da República, na discussão da TSU, para a ilustração no jornal Público, no suplemento P2, para a rubrica, que sai aos domingos "Semana Ilustrada". O último desenho é a ilustração final.







terça-feira, janeiro 24, 2017

Ano do Galo

No Martim Moniz, a comemorar o Novo Ano Chinês, o Ano do Galo, registei estes dois momentos: um jogo de cartas e um pequeno teatro de sombras.



domingo, janeiro 22, 2017

Na sexta-feira em Washington

Fazer o Capitólio com muita gente à volta, uns foram convidados e estavam sentados de costas em anfiteatro, outros estavam de pé e de frente. Eram milhares e ainda um senhor de cabelo platinado ao centro com a mão levantada. E também ficava bem pelo menos um polícia. Foi isto que quis fazer e tive que distorcer muito para caber tudo.


terça-feira, janeiro 17, 2017

Abrantes

Sentado na esplanada do café Chave d'Oro, no centro histórico de Abrantes, esperava pela hora da reunião preparatória do III Encontro de Cadernos de Viagem de Abrantes. O sol estava a começar a inundar a praça.


domingo, janeiro 15, 2017

Quinta do Ferro

Três desenhos em sequência. Entrada para a Rua C, a principal rua da Quinta do Ferro.




sexta-feira, janeiro 13, 2017

Quinta do Ferro

Amanhã, sábado pelas 10 horas no Mercado de Santa Clara, na Quinta do Ferro, na Graça, para desenhar. Ver mais desenhos de vários autores aqui e toda a explicação do que vamos lá fazer.


quarta-feira, janeiro 11, 2017

Mário Soares

Este blog reflecte algumas das coisas que faço durante os dias. São pequenas coisas sem grande importância. Não reflecte o que se vai passando na sociedade e isso, às vezes, faz-me pensar. A Teresa Ruivo também se refere a isso aqui.

Na segunda-feira fui com o João Catarino, o Zé Louro e o Filipe Leal de Faria ver as pessoas que se juntavam nos Jerónimos para prestarem uma última homenagem ao Mário Soares. Só consegui fazer isto, mas fica também como a minha homenagem.


domingo, janeiro 08, 2017

O Congresso dos EUA

O Congresso dos Estados Unidos reuniu-se pela primeira vez na nova legislatura já com a maioria republicana. Preparam-se para desfazer muitas das coisas que Obama fez para tornar a sociedade americana mais justa. Registei esse momento. Saiu no jornal Público hoje, domingo. Ver aqui a dupla página.


terça-feira, janeiro 03, 2017

Jardim das Amoreiras

Este jardim deve ser dos mais desenhados de Lisboa. E é pelo menos a segunda vez que desenho deste ponto. Agora um pouco mais para o lado direito (está aqui o outro desenho). Sei que Vieira da Silva fez um do mesmo ponto de observação, mas não o consegui encontrar.


quarta-feira, dezembro 28, 2016

Azores News

Nunca me considerei ilustrador. Desenho o que vejo, tento passar para o papel, com alguma selecção inevitavelmente, espaços, pessoas ou coisas que sejam marcantes, pelo menos para mim, naquele momento. Quando não tenho, à frente, o que me pedem para ilustrar, vou procurar outras imagens idênticas. Mas esse desenho não tenta explicar, nem acrescentar, nem dar outra visão do que está escrito ao lado. Tenta só dizer “eu estive lá e vi isto” ou “se eu estivesse lá era isto que via”.

Em baixo a ilustração para o jornal Azores News, cuja minha colaboração será mensal e acompanhará textos da jornalista Patrícia Carreiro. Aqui o jornal com o texto.


terça-feira, dezembro 20, 2016

Os solistas da Metropolitana

No sábado passado no auditório do Museu Arpad-Vieira os solistas da Metropolitana a tocar Beethoven e Mozart. Simplesmente maravilhoso.


domingo, dezembro 18, 2016

O desenhador não estava lá

Ao fazer este desenho (saiu hoje no jornal Público, suplemento P2), e outros anteriores, lembrei-me de uma secção que saía no jornal, entretanto desaparecido, Diário Popular que se chamava “O fotógrafo não estava lá”. (se não sabes o que é, vê aqui no extraordinário blog Almanaque Silva). Neste caso o fotógrafo estava lá, em Alepo, o desenhador é que não.


sexta-feira, dezembro 16, 2016

Basquiat

Os sketchbooks de Jean Michel Basquiat (que logo na introdução dizem que não são sketchbooks mas sim notebooks) têm uma grande predominância de palavras e muito poucos desenhos. Revelam a importância que a palavra teve na sua obra. Para um desenhador é uma desilusão, mas um tesouro para um coleccionador.



terça-feira, dezembro 13, 2016

No Jardim das Amoreiras

Tomar um café na esplanada do quiosque do Jardim das Amoreiras. E o jardim está lindo. O amarelo é mais bonito do que este do desenho. Vão lá ver.


segunda-feira, dezembro 12, 2016

A Igreja Matriz de Caminha

A Igreja Matriz e a muralha construida por altura da Guerra da Restauração.



sexta-feira, dezembro 09, 2016

A Rua Direita de Caminha

Logo no início da rua Direita, em Caminha, encontramos à direita o Largo Calouste Gulbenkian e, mais adiante, à esquerda, outro largo com uma enorme árvore no meio e uma grande história por detrás, o Largo do Posto do Turismo.



terça-feira, dezembro 06, 2016

Casa Dino

No fim da rua de S.João uma loja quase centenária: a Casa Dino. Atrás do balcão duas senhoras, mãe e filha, as senhoras donas Maria José.


domingo, dezembro 04, 2016

Os Reis de Espanha e a colecção Miró

A ilustração que fiz para o jornal Público suplemento P2 que saiu hoje. A visita dos Reis de Espanha à colecção Miró. Neste caso era indispensável o casal real ser reconhecido. Estará? Aqui a dupla página do jornal.


sexta-feira, dezembro 02, 2016

A Biblioteca de Caminha

Caminha não tem uma única livraria mas tem uma excelente biblioteca. Este edifício em pleno centro histórico, apesar de ser dissonante com o resto dos edifícios, parece-me integrado na malha urbana. O desenho não lhe faz jus.



quarta-feira, novembro 30, 2016

Alunos em Caminha

Quando desenho alguém, conheça ou não, não costumo pedir para posar. Acho que fazer isso tira a naturalidade. E não tenho a preocupação de “ficar parecido”. Acho que não é o mais importante. Mas quando alguém me pede que assine o seu caderno e me pede um desenho, faço-lhe o retrato. E, neste caso, quase sem levantar a caneta e em poucos segundos, tento que fique parecido. Foi o que aconteceu com a turma do 11ºano da escola secundária de Caminha.