quarta-feira, maio 16, 2007

Lisboa 9

Às vezes também me acontece isso. Olho para os desenhos feitos há anos e penso que fazia melhor. Mas outras vezes, como este caso, fazia de outra maneira com certeza, mas continuo a gostar dele. Até pelas lembranças que me traz. Foi desenhado a partir da Mãe d’Água.

Largo do Rato. Junho 2003

7 comentários:

José Louro disse...

Obrigado pelo link. Sim, as recordações ficam, vivissimas. Não sei outra forma (diários gráficos)tão poderosa de marcar o tempo.
Abraço.

hfm disse...

Gosto desta perspectiva.

ma grande folle de soeur disse...

Para nós apreciadores tb é interessante ver a evolução do traço de um desenhador. Um abraço.

Anónimo disse...

Às vezes custa a subir,mas...talvez o macaco ajude.
Galeota

Anónimo disse...

Lembranças e folhas soltas levam-nas o vento(daí fazer tudo em cadernos),mas esta ficou...
M

Anónimo disse...

Um beijo para o Vicente e Mãe.

Galeota disse...

Fiz o comentário anterior.