terça-feira, abril 29, 2008

Exercício escolar 3

Estas plantas, na falta de melhor, já foram objecto da nossa atenção e da mesma maneira: realçar os “fundos”. Entretanto cresceram um pouco.


Abril 2008

segunda-feira, abril 28, 2008

Exercício escolar 2

Sem levantar a caneta do papel. Primeiro a Elisabete, depois a Fátima. Dois minutos para cada uma.

Abril 2008

domingo, abril 27, 2008

Concerto

Desenhar na obscuridade é sempre complicado. É quase como aqueles exercícios de não levantar a caneta e não olhar para o papel. Num concerto, por vezes, é isto que acontece. Temos que nos valer dos pequenos intervalos.

Orquestra Metropolitana de Lisboa (parte) no CCB. Lisboa. Abril 2008

sexta-feira, abril 25, 2008

vinteecincodeabrilsempre

Apanhei o metro e fui até ao Rossio, comprei um cravo por um euro, voltei para casa, pu-lo num copo com água para não secar, desenhei-o, pintei-o com um vermelho forte, digitalizei-o e coloquei-o no blog com o título “vinteecincodeabrilsempre”

25 de Abril de 2008

quarta-feira, abril 23, 2008

Primeira página

Na primeira página do site diariografico.com foi colocada uma imagem dum caderno do antropólogo Manuel João Ramos: “Gosto de desenhar em cadernos e não em folhas soltas, não porque o caderno guarde, mas sobretudo porque esconde os desenhos”.

Manuel João Ramos. Antropólogo e professor

segunda-feira, abril 21, 2008

Lanche no Museu

A última qualidade que me interessa num desenho é o “ele estar parecido”. A não ser que seja essa a ideia. Neste desenho não me preocupei minimamente com quantos guindastes ou contentores existiam no cais.

Doca de Alcântara vista da esplanada do Museu de Arte Antiga. Abril 2008

domingo, abril 20, 2008

Desenhos rápidos 4

Para se desenhar alguém em movimento não há volta a dar. Tem que se memorizar e inventar muito. Este desenho foi feito a partir de um adolescente a andar de um lado para outro.

Abril 2008

sexta-feira, abril 18, 2008

Desenhos rápidos 3

Exemplos perfeitos de desenhos inacabados, quando o modelo desaparece, são alguns dos que fazem parte do projecto Subway-life de António Jorge Gonçalves. (Que, aliás, acaba de ter um 2ºlugar no World Press Cartoon, em Sintra, na categoria de Cartoon Editorial).

António Jorge Gonçalves. Portugal. Ilustrador. Autor de Banda-desenhada

quinta-feira, abril 17, 2008

Desenhos rápidos 2

Interessante a conversa aqui do lado. O que fazer quando o nosso modelo/vítima fica inacessível? Quando muda de posição, levanta-se ou algo se interpõe? Ficar inacabado ou continuar de imaginação? As pessoas do desenho em baixo estavam concentradas a escrever e a desenhar, mas não garanto que estivessem exactamente nestas posições.

Grupo de professores a inventarem uma estória e a fazerem um desenho de imaginação

terça-feira, abril 15, 2008

segunda-feira, abril 14, 2008

Desenhos rápidos

Desenho muito rápido feito de quem vem da cervejaria Trindade e entra no Largo Trindade Coelho. Tão rápido que não sei se o largo, os seus quiosques e o vendedor de lotaria estão reconhecíveis.

Lg. Trindade Coelho. Lisboa. 2008

sábado, abril 12, 2008

Desenhar sem caderno 2

A pintura de Edward Hopper está, de algum modo, relacionada com a viagem. Mas também ele não tinha o hábito de desenhar em cadernos. Os únicos que conheço, e que no seu site são denominados de Sketchbooks, não são “verdadeiros” Diários Gráficos. São uma espécie de “inventário” das suas pinturas e feito posteriormente.

Edward Hopper. "Standard Oil Station, Amarillo, Texas". 1963

sexta-feira, abril 11, 2008

Desenhar sem caderno 1

Nem toda a gente, que desenha quotidianamente e/ou que desenha quando viaja, usa um caderno para o fazer. Não consegui, por exemplo, encontrar nenhum desenho feito em caderno por Henri Matisse nas suas viagens por Marrocos e pelo Taiti. Na senda de Delacroix e Gauguin respectivamente.

Marrocos. Café em Tanger. 1912

Taiti. Vista do quarto em Papeete. 1930

quarta-feira, abril 09, 2008

Desenhar sem caderno

É um blog por onde costumo passar. Ainda não o tinha linkado por causa do meu preconceito em colocar só desenhos feitos em cadernos ou que se percebam que são feitos em cadernos. É um desenho diário e muitíssimo bom.

Xavier Boutin

terça-feira, abril 08, 2008

Oceanário

Influenciado pelos excelentes desenhos do nosso amigo aqui do lado lembrei-me de uma longínqua, e única, ida ao Oceanário. Fui à procura do caderno e encontrei-o. Tenho que lá voltar.


Oceanário. Lisboa. 2002

segunda-feira, abril 07, 2008

Alentejo 5

Vale a pena voltar a Elvas. A Praça da República livrou-se dos carros e o Museu de Arte Contemporânea, instalado num edifício do século XVIII, é muito simpático. Mas cuidado com o horário, está fechado à hora do almoço.

Praça da República Elvas. Março 2008

sábado, abril 05, 2008

Jardins

Há tantos anos que o Jardim São Pedro de Alcântara não estava acessível às pessoas, que já me esqueci quantos. Fazia muita falta com a sua vista sobre Lisboa. É inacreditável como os poderes públicos “esquecem-se” de áreas da cidade.

Vista do Castelo de S.Jorge a partir do Jardim S.Pedro de Alcântara.
Lisboa. Abril 2008

sexta-feira, abril 04, 2008

Acordo ortográfico

Fui ouvir uns senhores falar sobre (contra) o acordo ortográfico que se avizinha. Há muitos prós, há muitos contras e há uma grande pressão do Brasil para o acordo ser ratificado. Enfim, um grande imbróglio por resolver.

Livraria Byblos. Lisboa. Abril 2008

quinta-feira, abril 03, 2008

Alentejo 4

Serpa é uma cidade linda e tem ciprestes nas ruas. O que não é muito usual entre nós e lhe fica muito bem. A livraria “Vemos, Ouvimos e Lemos”, pequeno espaço cultural e que ainda não conhecia, é uma mais valia para a cidade, usando uma linguagem de economista, de politico ou outros.

Largo Salvador. Serpa. Março 2008

quarta-feira, abril 02, 2008

Alentejo 3

O Porche e o Templo de Diana. O mal não é só nacional, mas por cá há mais possibilidade de o fazer: ir de carro mesmo até à porta.

Templo de Diana. Évora. Março 2008