domingo, abril 27, 2008

Concerto

Desenhar na obscuridade é sempre complicado. É quase como aqueles exercícios de não levantar a caneta e não olhar para o papel. Num concerto, por vezes, é isto que acontece. Temos que nos valer dos pequenos intervalos.

Orquestra Metropolitana de Lisboa (parte) no CCB. Lisboa. Abril 2008

2 comentários:

isabel victor disse...

Excelente !


...


iv

croqui disse...

mas essa dificuldade o mais interessante e por vezes o resultado surpreende não é?

;-)