terça-feira, fevereiro 26, 2008

O desenho como uma arma

Desenhador obsessivo em cadernos, Pierre Fournier (1937-1973) desenhava a todo o instante, no metro, na rua, no café. Militante de causas sociais e ecológicas, usava o lápis como arma. Conheci-o só agora nesta mesma colecção: “Les Cahiers Dessinés” da editora Buchet/Chastel.

Paisagem em Minervois. Julho 1965

Gare de Toulouse. Julho 1965

3 comentários:

4ojos disse...

Qué pena que esos dibujos que enseñas sean más bucólicos que combativos.

josé louro disse...

Sim, na verdade parecem bastante contemplativos. Mas às vezes a normalidade esconde mais qq coisa. Lembram-se do Twin Peaks?

Pequete disse...

Não conhecia. Obrigada por este post.