quarta-feira, março 14, 2007

O Diário Gráfico como desinibidor

Gosto muito de lembrar este excerto de texto de John Ruskin, inglês do século XIX, artista, critico de arte e ensaísta: “Nunca encontrei, até agora, alguém que seja completamente impossibilitado de aprender a desenhar (…) exactamente da mesma maneira que quase todas as pessoas têm disposição para aprender francês, latim ou aritmética, num grau aceitável (…) supondo que estão dispostos a aguentar um certo aborrecimento e umas quantas desilusões com valentia, posso prometer-lhes que uma hora de prática diária durante seis meses, ou uma hora cada dois dias durante doze meses, ou da maneira que acharem melhor, umas cento e cinquenta horas de prática lhe darão o suficiente domínio do desenho”. Cito, parcialmente, esta frase no início do blog porque penso que o Diário Gráfico é uma boa maneira de começar.

Francisco Vidal (1978) é um pintor com imenso talento e que desenha muitíssimo bem

2 comentários:

ricardo m disse...

gosto de o ter presente. :)

Anónimo disse...

Gostei.
Galeota