quarta-feira, agosto 31, 2016

domingo, agosto 28, 2016

Roque Gameiro, Lisboa Antiga

Subi muitas vezes a rua do Vale (primeiro desenho). Vivi durante uns bons anos na rua que se vê à esquerda. A mercearia do senhor Fernando (prédio cor de rosa e que mudou de dono) tinha a gravura do Roque Gameiro na parede. De vez em quando passo por lá e encontro sempre antigos vizinhos. O segundo desenho é o chafariz da rua do Século, antiga rua Formosa, segundo Roque Gameiro.





quinta-feira, agosto 25, 2016

Na Praça do Comércio

Fiz uma “panorâmica” (termo cinéfilo quando a câmara roda sobre si mesmo não se movendo) a partir do Cais das Colunas, sentado num dos bancos de pedra. O último foi feito já sentado nas escadas da estátua de D.José. Entretanto chegaram os outros – o Swasky, a mulher e a filha, que também desenha muito bem, o Toni e a Núria - e o último ficou inacabado.





segunda-feira, agosto 22, 2016

Fábrica das Cores

A Fábrica das Cores em Oeiras/Sassoeiros é um mundo de fantasia, imaginação, objectos, coisas várias. Desenhar sem restrições de maneiras de fazer, de materiais e, sobretudo, sem medo e sem compromisso. E no fim um óptimo lanche oferecido pela Catarina.



domingo, agosto 21, 2016

Roque Gameiro, Lisboa Antiga

O Chafariz da Alegria na rua da Mãe d'Água e a Rua do Arco a São Mamede para o desafio "Roque Gameiro, Lisboa Antiga".