quarta-feira, outubro 07, 2009

British Bar

Este bar enche-se ao fim da tarde para a última cerveja e ao princípio da noite para a primeira. O relógio que se vê na parede anda com os ponteiros ao contrário. Ficou célebre quando apareceu no filme “A cidade branca” de Alain Tanner.

8 comentários:

hfm disse...

Belíssimo desenho. O chão, adorei.

ma grande folle de soeur disse...

já não sei q adjectivos usar para qualificar os teus desenhos, as cores, os ambientes... :)) Abraço

Rodrigo disse...

Olá,

Estive vendo algumas coisas no seu blog. Trabalho com posicionamento web e tenho uma proposta de publicidade: você não gostaria de receber 50 euros por mês por inserir os pequenos links dos nossos anunciantess? São 50 euros mensais por cada blog que for cadastrado, tendo também a possibilidade de acrescentar este dinheiro adicionando blogs ao nosso sistema de anunciantes. Estes links não atrasam o acesso ao seu site -links de pequenas empresas, nada estranho. Tire a suas dúvidas por email, o meu email e msn é

rodrigodinheirodasilva@gmail.com

Estou aguardando uma resposta,


Rodrigo
http://blogsdegrana.blogspot.com/
http://infracuatro.com/

Eduardo Salavisa disse...

Obrigado Rodrigo, mas quero manter este blog sem fins lucrativos, sem subsidio e sem facilidades fiscais.

Anónimo disse...

E atrás do balcão, parece-me ser o Silva.
o BB já era bem conhecido antes do filme.

Luis Serpa disse...

Conheço bem e frequento muito o British Bar, que é um dos meus waterholes favoritos em Lisboa.

Ao contrário dos outros desenhos, de que gostei bastante, acho que neste não conseguiu captar a atmosfera do sítio.

Não sei porquê: talvez demasiada luz, ou a escala das mesas.

Eduardo Salavisa disse...

Anónimo: refiro-me ao relógio. No filme realçavam-no e, pelo menos os menos assíduos, como eu, só depois é que deram por ele
Luis Serpa: tem razão. O ambiente é muito peculiar e o desenho não conresponde. Mas é de notar que devido às horas, o bar estava vazio. E desenhar um espaço fechado não é fácil.

José Melo disse...

Estive há poucas horas na sua apresentação de diários gráficos na Universidade Católica de Viseu e fiquei um tanto surpreendido. Sou aluno do 12º ano na Alves Martins, em Artes Visuais, e depois desta nova visão e compreensão acerca de diários gráficos, fiquei definitivamente com uma maior motivação para continuar a praticar o meu fraco talento para o desenho. De bares ingleses gosto eu, e não fosse esta representação e esta magia melhor para descrever uma paixão. Muito bom trabalho e obrigado :)