domingo, outubro 14, 2007

E.U.A. (Desenhar de memória)

Desde que uso os cadernos e desenho com mais frequência, evolui na qualidade do desenho, mas sobretudo na rapidez e na capacidade de observação e de apreender o essencial. Nesta iniciática viagem-desenho quis só guardar impressões de momentos. Para isso socorri-me da memória. O desenho era um simples apontamento só identificado por mim. Como este exemplo. Ninguém dirá que é o Grande Canyon.

5 comentários:

hfm disse...

entre o imaginário e a abstracção.

Anónimo disse...

Alinhavemos algumas ideias:
1- Decidiu desenhar melhor e, servindo-se dos cadernos, passou a desenhar com regularidade;
2- A prática regular desta actividade conduziu a um aperfeiçoamento na capacidade de observação;
3- Há regras que devem ser observadas na concepção de um bom desenho;
4- A maioria das vezes, quando nos referimos a um desenho estamos a enfatizar as qualidades narrativas do mesmo, ou à perícia do artista.
"O traço e a cor (como tais) ou a composição quase nunca são mencionados";
5-Sobre o Grande Canyon, permita-me
a brincadeira:" as parecenças, se as houvesse, eram por acaso".
Galeota

Anónimo disse...

nem mais ... !

e.s. disse...

Uma das virtudes do desenhar em caderno, se fosse preciso haver alguma, é não ter que haver parecenças nem regras.

Anónimo disse...

Parabéns,Galeota
Tony