quinta-feira, abril 19, 2007

O Diário Gráfico como instrumento de análise 1

Na minha passagem por Veneza há uns anos ficou-me uma imensa vontade de voltar. Não andei de gôndola, limitei-me a tentar perceber como aquilo se conduz.

Veneza. Abril 2002

6 comentários:

Anónimo disse...

Com muita mestria.
Galeota

JL disse...

Lamento não ter estado na já famosa charla.
Fica para uma próxima ocasião.
Abraço.

hfm disse...

Nunca tinha pensado nesta possibilidade. A tentar. Bom exemplo.

Anónimo disse...

O desenho feito directamente, no local, exige, a meu ver, uma grande capacidade de observação.Esssa capacidade de observação concretiza-se depois naquilo que o desenho é.E o que o desenho é resulta de uma síntese das sucessivas e diversas observações.Nessa síntese a análise está , sem dúvida, incorporada. Penso que decorrente desta ideia os diários gráficos são mais ou menos explicitamente " instrumentos de análise".
Peço desculpa se estou a "meter a foice em seara alheia" ...eu sou geógrafa e só fiz uns rabiscos nos Cadernos de Campo.
Galeota

4ojos disse...

Una góndola es asimétrica y dificilísima de dibujar

e.s. disse...

Galeota: os diários gráficos servem para o que nós quisermos e tudo ao mesmo tempo.
4ojos: quando for outra vez a Veneza penso que as desenho melhor. tenho um desenho a mostrar uma gondola por dentro, que são um luxo. posso mostrar um dia destes.