sábado, dezembro 16, 2006

Não-lugar

Contemporaneamente designados “não-lugares”, são espaços sem história e sem identidade, por onde as pessoas passam como meros utentes, sabendo que nunca mais se cruzarão. Salas de espera de aeroportos, bombas de gasolina e restaurantes de estrada, hotéis de passagem, com os quartos, a sua recepção e a sala de estar uniformizados. Paradoxalmente é aqui que um estrangeiro, perdido num país que não conhece, se encontra. A linguagem é universal.


James Jean. Taiwan. 1979

3 comentários:

PMBC disse...

Excelente. Um verdadeiro registo de viagem.

Anónimo disse...

E estamos a ver toda a cena!

Anónimo disse...

e eu a ver-te a ti !