segunda-feira, Julho 23, 2007

Na corda da roupa

Fazem-me companhia ao pequeno-almoço. Algumas delas até já respondem ao meu assobio (penso eu).

Lisboa. Julho 2007

domingo, Julho 22, 2007

Simonetta Capecchi

Simonetta Capecchi faz desenhos de viagem utilizando sobretudo a aguarela, técnica que domina magistralmente. Por causa do seu blog: “… os desenhos são menos espontâneos: agora sei que serão vistos por estranhos. Deixou de ser um diário íntimo”. Podem ver mais na 1ªpágina do site e em “outros autores”.

Simonetta Capecchi. Itália. Arquitecta

sexta-feira, Julho 20, 2007

Esplanadas 4

Esta fica entre a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos e ao pé dum edifício que está a crescer e ninguém sabe para que vai servir. A esplanada é toda branca e vidro. Não sei como se chama, mas recomenda-se.

Lisboa. Julho 2007

quinta-feira, Julho 19, 2007

A compra de um selo

Os empregados dos Correios da minha rua são muito simpáticos. Mas a máquina dos selos está sempre fora de serviço. Resultado: meia hora para comprar um simples selo.

Lisboa. Julho 2007

quarta-feira, Julho 18, 2007

Esplanadas 3

Sempre que passo pelos Restauradores entro no Bar Pirata e bebo uma “perna” (de pirata). É uma espécie de vinho do Porto com gasosa e uma rodela de limão. Há o tamanho grande e o pequeno. Raramente sento-me na pequena esplanada, que aliás só existe no Verão.

Bar Pirata. Restauradores. Lisboa. Outubro 2003

terça-feira, Julho 17, 2007

Esplanadas 2

Mesmo à noite estava um calor de rachar. Dos poucos sítios onde se podia estar era numa esplanada. Jantámos, então, em la Corredera. Praça em Córdova, lindíssima, daquelas como só nas cidades espanholas existem.

Praça de la Corredera. Córdova. Agosto 2003

segunda-feira, Julho 16, 2007

Esplanadas 1

Uma vez tentei ir a Valência, mas por causa das “Fallas” (festa popular) estavam os hotéis todos cheios. Passei ao largo. Na segunda tentativa valeu a pena. É o que se pode chamar de uma boa cidade: bonita, prática e simpática. Nesta esplanada no bairro del Cármen ocupei-me a observar a rapariga solitária, a outra apaixonada pelo seu namorado e o cão.

Valência. Bairro del Carmen. Agosto 2006

sábado, Julho 14, 2007

Esplanadas

Duas vistas da mesma esplanada com um ligeiro desvio do olhar.





Jardim Amália. Lisboa. Julho 2007

terça-feira, Julho 10, 2007

Cadernos em harmónio

Há quem use cadernos em harmónio. Tem algumas vantagens, como por exemplo, a facilidade de exposição ou na representação dum longuíssimo plano. A Sara Brandão, aluna de arquitectura e que integra desde hoje o site, gosta de os usar e diz-nos: “Através dos meus diários gráficos as cidades deixam de ser uma sucessão desordenada de ruas, construções e pessoas, ganhando um novo sentido, através do processo de compreensão que se realiza no desenho dos lugares”.

Sara Brandão. 1986. Estudante de Arquitectura

segunda-feira, Julho 09, 2007

Desenho 9

A partir deste post faço esta citação de Jorge Spencer, professor de Desenho em Arquitectura: “…um desenho é sempre uma escolha, um modo único de dirigir o olhar, enfatizando ou atenuando aspectos múltiplos da realidade que se observa”. E, já agora, dois desenhos do designer Daciano Costa, com quem colaborou, um feito em França e outro em Espanha. (ver no livro “Croquis de Viagem de Daciano Costa” de Livros Horizonte. Lisboa 1994)


Daciano Costa (1930-2005). Designer

sexta-feira, Julho 06, 2007

Le Mont S.Michel

Hoje, ao fazer umas arrumações (virtuais), dei com o desenho desta estranha cidade. Não sei se foi Ítalo Calvino, no seu admirável livro “As Cidades Invisíveis”, que escreveu (li este livro durante esta viagem) a frase que está por baixo do desenho: “cidade onde há vacas a comer erva salgada”. Mas se não foi ele podia ter sido. As descrições fantásticas, por vezes, são pura realidade.

Le Mont S.Michel. Abril 2002

quinta-feira, Julho 05, 2007

Cafés 4

Regresso à Brasileira, na mesa do fundo enquanto tomavam o desayuno. (onde foram buscar esta palavra tão estranha?) A Antónia em primeiro plano.

Enrique Flores. Café "A Brasileira". Chiado. Lisboa. Junho 2007

quarta-feira, Julho 04, 2007

Cafés 3

Desta vez não é um café, é um restaurante. Com televisão, ventoinha e um pequeno lavatório ao fundo. Já se comeu bem por aqui, agora nem por isso.


Restaurante "A Cabaça". Bairro Alto. Lisboa. Janeiro 2006

segunda-feira, Julho 02, 2007

Cafés 2

R.Crumb, autor americano de BD a viver em França (vive com uma francesa e parece que trocou um sketchbook por uma casa) no seu livro "Waiting for Food" escreve: "[...] este tipo de coisas, desenhar acontecimentos sociais, em restaurantes, é a minha maneira de aliviar algum stress motivado pela vida social… o mesmo que fumar… às vezes para ocupar as mãos. Para além disso fico chateado de falar, falar. Eu fico sem coisas para dizer… e aqui em França estes jantares duram horas. Eu tenho montes de tempo para fazer desenhos elaborados".


R.Crumb (1943). Autor de BD

domingo, Julho 01, 2007

Cafés 1

Podemos optar por desenhar um pormenor ou uma personagem, de preferência algo ou alguém característico daquele café.

Pastelaria Benard. Lisboa. Dezembro 2004